Tradução Holy Land


 
Fiz alguma alterações, mas se quiserem ver o original, visitem o link que está no final dessa entrada.
 
Traduzido por
Teresa Santos | Publicado em 19/07/03
 

CRUZANDO*

(G. P. da Palestrina)

(Instrumental)

 
*o oceano, nesse caso

NADA A DIZER

(Música: Matos, Loureiro, Confessori)
(Letras: Matos)

Há muito tempo atrás, sob este mesmo céu
“Fica solitário quando o sol se põe”
O dia veio quando éramos como um:
– Armas para cima, nunca se rendam!

Oh, eu vi os brilhos do ouro
Nós mataríamos e morreríamos
Conquistando um mundo virgem
A fortaleza corrompida pela honra

Vivendo para sempre, partindo hoje
De volta a meu lugar, não tenho
Nada a dizer!

Culpa e vergonha, é tudo tão insano
Deuses pagãos morrem sem defesa
E não poderíamos ir mais adiante
Cavando as covas de nossa consciência

Oh, os sons, eles ainda ecoam
Todos nós flutuando em mares de sangue
A esperança escondida por trás do horror

Vivendo para sempre, partindo hoje
De volta a essa terra, não tenho
Nada a dizer!

Oh, quantas lágrimas se foram
A cada manhã eu me livro do amor
O amor se erguendo da mágoa

Vivendo para sempre, partindo hoje
De volta a meu lugar, eu não tenho
Nada a dizer!

SILÊNCIO E DISTÂNCIA

(Música e Letras: André Matos)

Estive aqui por muito tempo
Pela manhã eu ousarei
Silencioso e distante
Alcançando, sem aviso
Roubando os sussurros
De meus mais profundos pedidos

E você me observa
Esperando por algo novo
Minhas mãos, tão vazias
Quanto meu corpo e minha alma
Poderia continuar fingindo
Mas em meu coração eu já teria partido…

Ainda encara meu rosto
Mas seus olhos parecem perdidos
Mantenha o controle das velas
Contra o céu azul

Ooh, estou planejando
Um caminho de volta ao mar
Este vazio queima por dentro
E continua por milhas intermináveis

Não me deixe ir
Embora através do mar
– Deve ser muito maior
Do que parece ser

Oh, ainda estou procurando
O caminho para ser livre
A solidão se prende ao nosso redor
Apesar de não podermos ver

E agora sei
Em meu coração não vou esquecer:
As velas contra o céu azul,
Foram elas que me ensinaram como viver

… Sem mágoa
E amanhã compartilharemos
Silêncio e distância
Até que nossas falhas sejam reparadas
Você será a dama
Que nunca esquecerei

 

CAROLINA IV

(Música: Bittencourt, Loureiro,
Matos, Mariutti, Confessori)
(Letra: Bittencourt, Matos)
 
[Salve, salve Iemanjá
Salve Janaína
E tudo o que se fez n’água
Jogam flores para o mar
Deus salve a rainha
E o meu passo nessa esfera]

Tudo que vejo flutua com o vento
Todos os milagres da água
São milagres nunca vistos antes
De algum modo minha vida começa agora
Esta música que foi tocada através do tempo
Agora começa a alcançar meus pés
Parece a inundação de minhas necessidades
Vinda da harmonia da eternidade
Soam as melodias do mar
E você saberá no caminho
Estou voltando para meus inimigos
Estou voltando
Estarei de volta a meus últimos dias
Estou voltando para o mar!

Então… Por que você não vem
Comigo, meu amigo?
Emoções…como tivemos antes
Esperança…nunca mostrando o mesmo
Para um homem solitário

Desde o dia em que deixamos a terra
Estávamos ansiosos pela chegada
O capitão continuou mostrando seus planos:
“Sob as velas iremos!”

No azul profundo do mar eu observo
Os reflexos de minha alma
Temos conosco um convidado especial
E para ele faremos um brinde

Carolina IV levou um rio para o céu
Sete homens a bordo participando
Para levar seus corações ao redor
Ao redor, ao redor do mundo

Tudo que consigo lembrar daquele dia
Naquele dia com certeza
Todas as mãos para cima contra o nevoeiro
Enquanto tentávamos retornar

Carolina IV levou um rio para o céu
Com um homem a menos a bordo
Sonhos humanos
Às vezes podem custar-lhes suas vidas
Todas as suas vidas sonhando:

Tenho sido tão tolo
Tenho estado com tanto medo
Do meu coração, para você eu digo:
– Estarei aqui para ficar!

Não muito sobrou do barco
Já se passaram muitos anos
Ainda assim não consigo esquecer o passado
E aqueles que deixei em casa

Carolina IV levou um rio para o céu
Noites sibilantes e tempestuosas
Me fizeram navegar diretamente
Para dentro do olho do vento
Agora eu morrerei cantando:

Fui tão tolo
Estive com tanto medo
Do meu coração, para você eu digo:
– Estou aqui para ficar!

 

TERRA SAGRADA

(Música e Letras: André Matos)

Nascemos numa Época de Ouro
Além das crenças
Sopradas com os ventos para encontrar
Aqueles que rastejam
E rezam
Vestígios de pés descalços em areia fresca
Um mapa desdobrado
Espalhando conhecimento
Magia e amor
E então…

… Ooh, e então

Carregados por deuses de madeira
Nós partimos em direção ao sol
Jorramos o sangue sagrado
Daqueles que morrem
Para abençoar

Ooh, e dançar…
Ooh, ainda dançar…

Alguém enviou
Alguém até aqui
Para trazer uma era
Há muito desaparecida

Terra Sagrada
Jogue suas cicatrizes em mim
Minha alma apenas tende a ser
Sua amiga

Terra Sagrada – Terra Sagrada ao redor
Terra Sagrada – Terra Sagrada é tudo…

Alguém enviou
Alguém até aqui
Para trazer uma era
Há muito desaparecida

Terra Sagrada
Mostre-me seus sinais
Pois estou aqui para ver
Seu rosto

Terra Sagrada – Terra Sagrada ao redor
Terra Sagrada – Terra Sagrada é tudo…
Terra Sagrada, Terra Sagrada…

 

O XAMÃ

(Música e Letra: André Matos)

Garotos, eu vi o velho
Máscara de palha ao redor da testa
A chama, um estouro e os mortos acordados
(As sementes mágicas irão se espalhar…)

O guerreiro sangrando, ele foi combatido
(Folhas que curam, dentes de piranhas,
Ninguém deixa este lugar até o amanhecer!)
Contra a paixão, pelo amor
(Pele de serpente, um grito selvagem,
Você não acredita, ele cresce cada vez mais…)

Garotos, é tudo tão fácil
Aqueçam a alma
Enquanto o corpo está congelando…
– Eu juro!

Contra os homens da terra
Contra a besta para sobreviver
Contra os demônios para manter a fé
(Os espíritos e o destino…)

Uma palavra – juntos eles irão gritar
(Corra e reze, se você está com medo
É melhor ficar longe de tudo isto!)
Um estrondo balança o chão
(Comece a cantar, a virar e a girar,
Livre-se de todos os seus pecados agora!)

Garotos, é tudo tão fácil
Aqueça a alma
Enquanto o corpo está congelando…
Ainda podemos esperar
Juntos por uma única palavra
Aqueçam a alma…

– Garotos, eu juro que estive lá!

 

FAZ DE CONTA

(Música: Bittencourt, Matos)
(Letras: Bittencourt)

Sentado próximo à campina
Observando as ervas crescerem
Limpei todas as cinzas
Da minha alma

Escrevi minha própria sentença
Agora você está em seu caminho
Desaparece a última lembrança
De seu rosto bonito e amável

Eu, afinal,
Apenas um homem solitário
Um coração solitário!

Trabalhando no futuro
Flutuando no destino
Encarei as circunstâncias
Clareei as sombras, então

Faça de conta
Que não há mágoa em seus olhos
Você não sabe
Que nunca poderemos voltar ao início?
Minutos esperando, a vida foi desperdiçada
… Talvez eu queira morrer algum outro dia

Ouço os sussurros de sua esperança
A resposta não foi dita
Não, não ria ao me ver chorar
O fim deixei para trás
(…Os sussurros de sua esperança
São deixados para trás!)

Faça de conta
Não há mágoa em seus olhos
Não vê
Que nunca poderemos voltar ao início?
Minutos esperando, a vida foi desperdiçada

E tentei
Talvez você negue
Palavras de paz
Para o futuro de nossas vidas
Traga a mim
Algo mais que um coração partido
Eu não esperarei
Até que minha vida esteja desperdiçada
… Talvez eu queira morrer outro dia

 

Z.I.T.O.

(Música: Loureiro, Bittencourt, Matos)
(Letra: Bittencourt)

De algum modo eu me viro e vejo
Meus nervos se quebram por dentro
Talvez você saiba muito mais que eu
Então me diga o que é certo dizer

Na fraqueza de minha alma
Estão os segredos, e eu sei
Que há algo me empurrando para trás
Desejaria que minhas mãos
Se transformassem em ouro
E meu coração iria quebrar o frio
Para dar aos meus pensamentos
Algum significado

A virada está próxima, novo século
Ainda as pessoas pensam que são reis
Agora você tem sua voz
Seu próprio discurso
Não espere até que alguém mais concorde

Nadando nu de crenças
E responsabilidades
Apenas sinta o mar de felicidade
A Mãe Natureza me traz
Em uma pureza fantástica
Tudo que eu preciso

Como uma descoberta de um adolescente
O que é mais agradável que isto?
Tente se lembrar como era bom
Sentir a vida como ela é
Para acreditar!

Um novo mundo nasceu
Dos sonhos dos homens
Agora nós andamos por conta própria
Os anjos lamentaram, você os ouviu chorar
Mas agora é hora de fazê-los cantar!

 

AZUL MARINHO

(Música e Letra: André Matos)

Três penhascos ali ficam
Lá no alto onde grandes ventos uivam
Silêncio que circunda tudo
Três pássaros escalam, e então caem

Esperando por algum dia
Quando o oceano e o céu
Irão cobrir a terra em azul marinho

A renascença acabou e me pergunto
– Devo ser sempre o mesmo mais uma vez?

Pegue minha mão e siga
Amplas árvores, os casacos verdes
O tempo não tem lugar no amanhã
Sinta o bem em sonhos infinitos

Esperando por algum dia
Quando o oceano e o céu
Irão cobrir a terra em azul marinho
A renascença acabou e me pergunto
– Devo fechar meus olhos e rezar?
– Me sentir como se tivesse sido traído?
– Ser sempre o mesmo?

… Ser sempre o mesmo mais uma vez?

 

CANÇÃO DE NINAR PARA LÚCIFER

(Música: Loureiro, Bittencourt)
(Letra: Bittencourt)

Na areia, na beira do mar
Deixei meu coração
Para derramar minha tristeza
Um vulto veio e me suplicou:
– Alimente-me com este pedaço de carne!

Eu não largarei mão
De algo que preciso

Em um jardim de crianças
Deixei minha fantasia viajar livre
Crianças brincando ao redor de uma árvore
Dividindo maçãs alegremente

Venha e descanse comigo
Dê suas mãos aos sonhos

Esperarei aqui ao seu lado
Até que você adormeça
Esperarei até que você chore
Sobre mim todas as lágrimas
Que você esconde por dentro…

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s