ENTREVISTA – HENCEFORTH


Após uma longa parada no grupo devido a vários fatores, o Henceforth volta à tona após quase três anos longe dos palcos. A banda paulista, que conta com a formação de Hugo Mariutti na guitarra, Luis Mariutti no baixo, Fabio Elsas na bateria, Frank Harris no vocal e Cristiano Altieri nos teclados, lançou seu primeiro álbum em 2005, intitulado "Henceforth", trazendo vários comentários positivos em revistas especializadas e admiração de seus fãs, com um estilo mais diferente e pesado do que o público dos irmãos Mariutti (ambos ex-Shaman e atual Andre Matos Solo) estavam acostumados a ouvir.

No site oficial www.henceforth.com.br foi disponibilizado gratuitamente o primeiro single "Decay" que fará parte do segundo trabalho da banda, intitulado "The Gray Album". O lançamento do novo trabalho deve acontecer no segundo semestre.

Em uma entrevista concedida ao PontoZero, Hugo Mariutti e Fabio Elsas comentam sobre seu novo álbum e suas expectativas daqui pra frente.

A nova música “Decay”, liberada no site de vocês para ouvir gratuitamente, já dá para perceber certa diferença nas melodias em relação ao álbum anterior. Quais as principais mudanças e inovações que podem ser encontrados no novo CD que difere do primeiro?
Fabio Elsas: A "Decay" é realmente um tanto diferente do restante do nosso material, principalmente se comparada com o material do primeiro álbum. Decidimos lançá-la na internet como um primeiro single, uma idéia do que teremos no novo álbum. O The Gray Álbum, traz, no geral, uma sonoridade mais densa e pesada em relação ao primeiro álbum que trazia nuances mais pronunciadas de progressivo.

A composição do segundo álbum saiu como o esperado? Quais são as expectativas de vocês em relação aos fãs que aguardam o CD?
Fabio Elsas: Bom, estamos 100% satisfeitos com os resultados, tanto no tocante às composições quanto com relação à qualidade de som que alcançamos. Por ter sido composto num espaço de tempo menor do que o primeiro álbum que tem músicas que foram originalmente compostas no começo da banda – existe uma certa uniformidade ou relação entre as músicas.

Hugo Mariutti: Acho que uma das grandes diferenças é poder construir as músicas já pensando em como vai soar na voz do Frank, pois no primeiro trabalho tínhamos músicas que foram compostas originalmente com outra formação e isso desta vez não ocorreu. Acredito que temos um grande material nas mãos.

O primeiro CD foi entitulado com o nome da banda, "Henceforth". Comentem o significado e o por que o título "The Gray Album" para o segundo.
Fabio Elsas: O título foi uma escolha unânime que partiu da atmosfera geral das letras, que estão bem carregadas nesse álbum.

Hugo Mariutti : Sugeri este título, pois acreditava que nada poderia definir melhor o trabalho todo do que "The Gray Album".

Pelo fato deste álbum ter sido feito mais rápido do que o primeiro (já que o primeiro levou 13 anos para ser produzido desde o início do grupo), vocês vêem diferenças no resultado final devido ao tempo gasto para a composição?
FE: Com certeza aprendemos muito no processo de composição e produção do primeiro álbum, e algumas das lições que tivemos nesse período foram fundamentais para que o processo do segundo álbum ocorresse da maneira que ocorreu. Apesar de termos levado bem menos tempo nesse álbum, a qualidade de uma maneira geral está bem superior à que alcançamos no primeiro.

HM: Uma coisa fundamental é ir direto ao ponto, e depois de um certo tempo de experiência no meio, você acaba indo direto a este ponto, sem ficar perdido e sem fazer loucuras.

"The Gray Album" conta com alguma participação – como teve a de Andre Matos no primeiro – ou cover?
FE: Não, desta vez não temos participações e nem covers. Somos só nós mesmo!

HM: Na minha opinião participação deve ser uma coisa que seja de forma natural.Quando chamamos o Andre foi porque tínhamos uma letra e uma música que pediam uma participação, com uma voz oposta a do Frank, daí pensamos que não tinha ninguém melhor do que o Andre para fazer.

Os shows que aconteceram durante a divulgação do primeiro CD ajudaram, dentre outros fatores, a vocês estarem mais seguros e preparados para trabalharem juntos, já que a banda passou por diversas mudanças na formação. Com o segundo trabalho, a futura tour, poderá ser mais "contínua" comparado ao da primeira?
HM: Com certeza os shows ajudam bastante a banda a amadurecer, porém apesar das mudanças a banda sempre trabalhou muito bem junta. O Frank já está se não me engano desde 2001 com a gente e o Luis sempre freqüentava os ensaios da banda e participou muito da produção do primeiro cd, por isso trabalhamos bem juntos. Quanto uma tour mais contínua não depende só da banda, pois infelizmente nem sempre nos são dadas condições mínimas para fazer shows profissionais. Não fazemos nenhuma exigência anormal, pode ter certeza disso, e vamos fazer de tudo para que com o segundo cd lançado possamos ter mais datas.

Um dos motivos do Henceforth não ter feito muitas apresentações durante a divulgação do primeiro álbum se deveu ao fato da agenda das outras bandas dos irmãos Mariutti, como a do Andre Matos Solo (e até mesmo antigamente, com o Shaman). Vocês acham que esse tipo de situação pode acontecer com a mesma freqüência agora?
FE: Sim, é provável que ocorra, mas isso nunca foi um grande problema, só um fator a mais a se considerar quando programamos algum show.

Ao escrever "The Gray Album" o que vocês mais queriam passar para seus fãs? Existia desde o começo algum assunto a ser abordado ou foi fluindo conforme as composições?
FE: As letras foram surgindo na medida em que as músicas surgiam, e desta vez as letras contaram com uma colaboração muito boa do Frank, que fez várias delas em parceria comigo. O Hugo também participou de algumas.

HM: Queríamos passar nas letras o que sentíamos que a música pedia, e acho que conseguimos um resultado bem apropriado.

Finalizando, deixe sua mensagem para os nossos leitores, e fique a vontade para divulgar – caso já tiver agendado – futuras apresentações. Agradecemos a entrevista e estamos gratos pela receptividade!
FE: Agradecemos pelo espaço! Devemos lançar o The Gray Album em breve, estamos procurando os melhores caminhos para fazê-lo no Brasil e no exterior. Agradecemos a paciência dos fãs e esperamos encontrá-los em breve! Nesse meio tempo, fiquem ligados no nosso MySpace e no nosso site para saber das novidades. Um abraço!

HM: Gostaria de convidar a todos para baixar de graça nosso novo single Decay no nosso site www.henceforth.com.br, e que fiquem ligados, pois o novo CD está muito legal. Abraço!

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s