Mentalize


 
Por Júlio André Gutheil | Em 11/11/09
 

Havia muitas expectativas sobre este segundo trabalho solo de Andre Matos, um dos maiores ícones do Heavy Metal brasileiro. E "Mentalize" consegue corresponder a grande maioria dessas expectativas, mostrando-se um álbum maduro, coeso e com um conceito muito bem idealizado.

A produção ficou a cargo do própro Andre Matos, em parceria do conceituadíssimo produtor alemão Sascha Paeth. A parceria desta dupla de peso rendeu um disco excepcional, que traz muitos segredos, desde a sua arte gráfica absolutamente inovadora até a forma como as músicas foram concebidas. Devo admitir que as primeiras audições me soaram estranhas, não parecendo o mesmo Andre de outrora. Mas a cada nova ouvida mais e mais pequenos detalhes vão se mostrando, desmembrando cada música numa enorme gama de possibilidades de sons e influências. Logo, não é um disco facilmente digerível, mas que quando de fato compreendido, soa com maestria.

As graves vocalizações do início de "Leading On" remetem à meditação de monges tibetanos buscando a iluminação, e dão o tom para toda a música, que conta com a bateria precisa de Eloy Casagrande e os riffs afiados de Hugo Mariuti.É uma música que faz pensar sobre nós mesmos e como queremos buscar saber mais a respeito de coisas que estão além do nosso conhecimento. Quase esotérica, diria.

"I Will Return" começa com coros que fazem pensar imediatamente em Queen, como se o próprio Freddi Mercury os executasse com sua eterna majestade (Sim, meio exagerado isso, mas é só minha percepção). É uma canção animada, pra pra frente,com refrão totalmente grudento. Tais características poderiam rotula-la como "Pop" e acessível, mas não é o caso, pois tem um peso e um intensidade muito distante do mainstream (Mas mesmo assim tocaria em rádio facilmente).

Os primeiros riffs de "Someone Else" me soaram quase como o Blind Guardian do disco "A Twist In The Mith", pesados, intensos, com um quê de raiva. Porém com seu desenrolar nos deparamos com o Andre Matos que todos conhecemos, contido nos agudos, mas arrebentando tudo com sua capacida vocal inigualável. Vale ressaltar também as linhas de teclados de Fábio Ribeiro, que dão um clima muito interessante à música. E na sequência vem a animada "Shift The Night Away", que tem um ritmo absurdo, um refrão marcante e mais uma vez com ótima atuação do baterista novato.

"Back To You" é a baladinha que tem que ter em todo o disco de metal. E diga-se de passagem é uma balada clássica, com início cadenciado, ganhando corpo lentamente, num refrão emocionado e épico. Não chega a ser uma "Fairy Tale", mas mostra o seu valor, e com bastante feeling.

"Mentalize", a faixa-título, é um dos pontos altos do álbum, pois conta com um vocalista inspirado, buscando novas sonoridades em seu metal, explorando muito bem sua capacidade. Uma letra envolvente, que empurra o ouvinte pelos caminhos torutosos da mente humana. Inspirado também está Luís Mariuti, em linhas de baixo matadoras. E outro grande momento vem com "The Myriad", de abertura com bateria envolvente, os teclados criando uma aura misteriosa, para as guitarras entrarem com tudo puxando consigo os vocais ainda mais bem feitos. Um letra excepcional, fácil de acompanhar e que fala sobre amizades e os limites do ser humano,e o quanto é difícil se destacar numa multidão quase infinita. Uma pequena obra-prima.

"When The Sun Cried Out", "Mirror of Me" e "Violence" constituem uma sequência que leva o ouvinte de um lado para outro, intercalando ritmos e velocidades muito distintas uma das outras, levando numa profunda viagem musical. Cada uma com seus momentos altos, intensos, quase épicos, com uma banda totalmente entrosada e ciente de seu som.

"A Lapse in Time" é um tipo de interlúdio com somente voz e piano, muito bela, esbanjando sensibilidade, ao melhor estilo Andre Matos.

E para fechar temos "Power Stream", que parece até um powermetal, muito veloz, pesada, com um pedal duplo enlouquecido. Ótima faixa.

A versão brasileira conta com a faixa bônus "Don’t Despair", música que estava em uma das primeiras demos do Angra mas que jamais tinha sido gravada para um álbum oficial e que vários fãs pediam há muito tempo. Com uma produção realmente profissional, ficou maravilhosa, os guitarristas não devem muito a Bittencourt e Loureiro, fazendo uma versão um pouco diferente da original, mas igualmente boa.

Algumas pessoas ficaram decepcionadas com a participação de Eloy Casagrande, esperando dele muito mais. Pessoalmente eu achei uma atuação primorosa para um primeiro disco como baterista efetivado, e ainda mais sendo com esse monstro sagrado do metal brasileiro. No futuro, tenho certeza disso, ele se soltara ainda mais, fazendo linhas de bateria absolutamente impressionantes, seguindo os passos de gênios como Ricardo Confessori e Aquiles Priester.

Apesar de tantos elogios o disco não leva um 10, mas sim um igualmente bom 9, porque faltou alguma pequenina coisa (quem sabe os velhos agudos?) que o deixasse relmente um disco perfeito. Mas de qualquer jeito é um disco sensacional, e que vale ser adquirido.

Um dos discos do ano!

Faixas:
01. Leading On! (5:08)
02. I Will Return (5:10)
03. Someone Else (5:46)
04. Shift The Night Away (4:57)
05. Back To You (4:13)
06. Mentalize (4:04)
07. The Myriad (5:08)
08. When The Sun Cried Out (4:38)
09. Mirror of Me (4:14)
10. Violence (4:59)
11. A lapse in Time (2:41)
12. Power Stream (4:13)
13. Don’t Despair (Bônus) (5:07)

Andre Matos – Vocal
Hugo Mariuti – Guitarra
André "Zaza" Hernades – Guitarra
Fabio Ribeiro – Teclado
Luis Mariuti – Baixo
Eloy Casagrande – Bateria

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s