André Matos em Salvador


28 de Abril de 2008

Ontem estive na Concha Acústica, em Salvador, onde assisti a um show de qualidade internacional, cujo ingresso custou apenas 20 reais a inteira. André Matos e sua banda deram um show, literalmente, nos conduzindo pela carreira que se iniciou nos anos 80 com o Viper, passando pelo Angra e Shaman, este último já nos anos 2000. Agora o André parece que cansou de mudar de banda e estampou o próprio nome no álbum. Nada que tenha alguma importância, uma vez que a qualidade musical se manteve em todas as fases.

Conheci esse pessoal na fase Angra em meados dos anos 90. E, para quem não sabe nada sobre esse tipo de música, trata-se de do heavy metal melódico, cujas canções, além da forte base de guitarra, baixo e bateria, incorporam elementos orquestrais, fantásticos, líricos e – no caso dos brasileiros em questão – toques de MPB bem aplicados e sem frescura. Quem gosta do MTV Rock Gol certamente já deve tê-los visto pelos gramados, onde não têm a menor intimidade com a bola.

Pois eis que fui ao show junto que minha gangue do rock n’ roll: Gabeira, Burti, Karin, Marcelo e Betina. Não sou muito assíduo em shows desse tipo, uma vez que eles são raros aqui na Bahia e eu não sou muito de viajar. Talvez por isso, este deve ter sido o melhor show de rock que já assisti, já que se trata de uma banda que considero clássica, cujos admiradores se espalham pelo mundo, sobretudo no Japão e Europa.

Foi bom também ficar no meio da gurizada rocker. Me senti em casa, muito à vontade, diferentemente das apresentações que frequento no Teatro Castro Alves, cujo público majoritário é de velhos burgueses e atristocratas. Foi um grande show, muito bonito e bem executado, com sucessos antigos e tudo que tínhamos direito. O ápice ocorreu na execução das clássicas Lisbon e Carry On, do Angra, quando o público mais participou – cantando e gesticulando como típicos metaleiros.

O André Matos – e todas as banda pelas quais passou – são, sem dúvida nenhuma, meus grandes ídolos no rock brasileiro atual, ainda que cantem em língua inglesa. O novo disco, abaixo, foi muito bem recebido pelo público e, pelo que pude percerber in loco, trata-se de um trabalho muito bom. Vida longa ao metal brasileiro!

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s