Entrevista com André Hernandes


Hoje é dia Mundial do Rock! e para celebrar esse dia vamos postar uma entrevista com André Hernandes, Guitarrista da banda Andre Matos e também guitarrista de Fusion Instrumental.
Já conhecia o trabalho do André, antes de ele começar a tocar com o Andre Matos, o que sempre me chamou a atenção é o modo peculiar e único de compor e também de usar certas técnicas.

Sua principal característica é a palhetada híbrida, cuja trás uma sonoridade bem seleta e permite licks e solos com grandes saltos de cordas.


Bom… é isso segue abaixo a entrevista… espero que curtam!!!







1-) Atualmente em turnê com a banda Andre Matos, como é estar fazendo shows na Europa? e em termos de estrutura e investimentos, tem muita diferença das turnês nacionais?
Realmente existe uma diferença substancial em termos de infra-estrutura, e de hábitos também. Na Europa tocamos todos os dias da semana, e em horários que permitem que o público compareça sem precisar sacrificar o dia seguinte de trabalho.
Porém, aqui no Brasil temos o calor humano do publico que compensa todo o resto.
2-) Em relação aos equipamentos, o que anda usando ultimamente? Costuma variar muito de estúdio para show?
Não, prefiro gravar com o que vou usar na tour. São as guitarras Castelli AH-02 e AH-04, amplificador Rotstage Spirit, os pedais AS-1 e Dual Drive da Nig, as cordas são Nig também, e os cabos Tecniforte.
3-) Você é conhecido também como professor de guitarra. No que o ato de ensinar contribuiu para o seu desenvolvimento profissional?
Ensinar significa estudar e pesquisar o tempo todo, isto por si só já ajuda a me manter em forma. Além de ser uma atividade que gosto muito exercer.
4-) Durante sua vida musical, quais foram os guitarristas que influenciaram diretamente no seu modo de tocar?
Acho que esta questão das influencias passa diretamente pela questão dos períodos e fases que todos nós músicos vivemos durante nossa formação. Então lá no começo foram Angus Young, Eddie Van Halen, Randy Rhoads, Brian May entre outros.
Depois vieram Yngwie Malmsteen, Greg Howe, Steve Vai e Joe Satriani. Por último caras do jazz, blues e fusion como Scott Henderson, Wes Montgomery, Robben Ford, Pat Metheny, Mike Stern, Allan Holdsworth entre outros.
5-) Você sempre teve seus trabalhos mais direcionados na linha Fusion, como foi depois de tanto tempo voltar a tocar Heavy Metal, e como seu foco no momento contribuiu para essa volta?
Foi muito divertido, pois no heavy-metal tudo é mais facil e cheio de energia, é como bater uma bola com os amigos.
Acredito que o fato de eu ter desenvolvido outros estilos e ter me mantido afastado por alguns anos me ajudou a evitar certos vícios e clichês do estilo.
6-) Sobre a palhetada híbrida, em qual momento que você passou a incorporar essa técnica, e em termos de sonoridade quais os benefícios que ela trás?
Faz aproximadamente dez anos que venho utilizando-a, e o motivo foram a busca por uma sonoridade menos linear e com mais suingue. Alem do fato de que ela permite executar grandes saltos com velocidade e clareza.
7-) O que tem ouvido e estudado ultimamente?
Ainda gosto de escutar as bandas que ouvia quando comecei a tocar. Bandas como Van Halen com Dave Lee Roth, AC-DC com Bon Scott, Queen, Ozzy com Randy Rhoads, entre outras.
Já na musica instrumental tem os caras novos no cenário jazz americano que são verdadeiros monstros, caras como Kurt Rosenwinkel, Mike Moreno, alem de um brasileiro que vive em Paris chamado Nelson Veras. Para estudar, muita improvisação como sempre, mas também a condução harmônica. Percebi de uns anos pra cá que nós guitarristas nos preocupamos muito em solar e não tanto em conduzir.
Não podemos esquecer que em uma gig instrumental ficamos muito tempo conduzindo para outros músicos solarem e isto é uma grande responsabilidade.
😎 André, o Guitar Tech agradece a sua presença, e gostaríamos que
deixasse uma mensagem para os seus fãs e leitores do blog.
Gostaria de agradecer ao Guitar Tech pela oportunidade, convidar todos a visitar meu site http://www.andrehernandes.com.br, e desejar a todos vocês que encontrem na musica tudo aquilo que buscam.
Um grande abraço a todos e até uma próxima!!



Valeu André!!! o Guitar Tech agradece pela sua colaboração e atenção!!!
Sorte e sucesso sempre!!!!

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s