Time to be Free


 
Aproveitando o post anterior, vou falar sobre o novo cd da banda solo do André Matos. Acho que não são necessárias explicações sobre esse que é um dos melhores vocalistas do mundo. Esses cd junto com o postado anteriormente, geraram a maior expectativa do ano no meio do metal nacional e internacional, afinal estará decidida a linha musical que seguirá as duas bandas.
 
O cd começa com uma daquelas aberturinhas já manjadas que todos os cds do gênero possuem, não precisa dizer o quanto desnecessário são tais introduções. O cd prossegue com a poderosa “Letting Go”, novamente seguindo a regra de cds do estilo: introdução climática seguida de uma música poderosa. Com essa música fica claro que André não está brincando em serviço e apresenta uma música excelente, variando climas e andamentos.
 
A música seguinte é “Rio”, música essa que não é novidade para os fãs de André Matos, já que ela tinha vazado a um tempo já na internet, no mais ela segue a mesma linha de “Letting Go”, uma música direta. Em “Remember Why” os destaques ficam para os agudos de André, que continuam intactos.
 
Em “How Long” há uma nítida mudança de clima nas músicas, ela começa com uns detalhes eletrônicos, coisa explorada pelo Shaman no cd “Reason”. Em “Looking Back” existem algumas partes acústicas, um belo trabalho de violões onde fica impossível não compararmos com o grande sucesso do Shaman, “For Tomorrow”.
“Face The End” é a primeira música de andamento mais cadenciado, o trabalho de teclados e bateria lembra explicitamente “Make Believe” do álbum “Holy Land” do Angra, belíssima música que dará um belo clima se executada ao vivo pela banda. Acho que o grande destaque do cd fica por conta de “Time To Be Free”, uma música que pode ser considerado um épico dentro desse cd, ela é um resumo de toda carreira do André, possuindo influencia de todos seus trabalho e ainda com um toque de modernidade, uma bela mostra do que pode se tornar o seu trabalho daqui para frente.
 
“A New Moonlight” é uma nova versão para “Moonlight” da banda Viper. Uma nova interpretação até interessante, mas no fim fica aquela impressão de esticamento mais do que necessário na música. “Endeavour” merece uma audição atenciosa, música muito boa. Encerrando o cd “Separate Ways (Worlds Apart)” cover do Journey, o começo ficou impressionante e a música tem um peso impressionante.
 
A conclusão que fica é a de um belíssimo cd, uma passagem por toda a sua carreira e inevitavelmente as comparações com o novo álbum do Shaman e com os da suas antigas bandas ocorrerão em grande escala.

Nota 9.0

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s