Tradução letras Angels Cry


Traduzido por
Cristina Nunes Mendes | Publicado em 19/04/03
 

Siga em Frente

(Matos)

Mente simplória
Pois agora você sucumbe
Nada muda seu caminho
Esse mundo insiste em ser o mesmo
Baseado em nossos erros
As flores desaparecem ao longo da estrada
Não coloque uma venda em seus olhos
Então a solidão se torna a lei
De uma vida sem sentido

Siga os seus passos e você descobrirá
Os caminhos desconhecidos estão na sua cabeça
Não precisa de mais nada além do seu orgulho
Para chegar lá… (vá!)

Agora temos que enfrentar um novo dia
Você não estará sozinho
Essa vida nos força a ficar
– Por quanto tempo?
Frio é o vento e o soar do trovão
Numa noite de tempestade
Mas você não vê, estou ao seu lado
Estamos marchando em frente!

Siga os seus passos e você descobrirá
Os caminhos desconhecidos estão na sua cabeça
Não precisa de mais nada além de seu orgulho
Para chegar lá…

Então, siga em frente,
A vida tem um sentido
Que algum dia poderemos descobrir…
Siga em frente, é hora de esquecer
Os restos do passado para seguir em frente
Siga os seus passos e você descobrirá
Os caminhos desconhecidos estão na sua cabeça
Não precisa de mais nada além de seu orgulho
Para chegar lá…
 
Então, siga em frente,
A vida tem um sentido
Que algum dia poderemos descobrir…
Siga em frente, é hora de esquecer
Os restos do passado para seguir em frente
Então, siga em frente
A vida tem um sentido
Que algum dia poderemos descobrir…
Siga em frente, é hora de esquecer
Os restos do passado para seguir em frente
 

O Tempo

(Matos, Bittencourt)

Dessa vez eu quero saber
o significado da vida…
…para viver de novo
Mal posso esperar
Sinto o brilho da luz em meus olhos
E agora eu sei,
meus instintos não estavam errados
E muitas coisas podem ser feitas
Agora eu não acredito
Que esteja sonhando sozinho

Estamos procurando pelo amor
Que todo mundo tem,
mas não consegue enxergar
Além da carne e ossos
Há muito mais por detrás
E muito mais que precisamos dar…
A sanidade traz a tristeza
Que mantém suas ilusões
trancadas em uma caixinha
Vem o medo, você se vê sozinho
Em uma jaula de conclusões
povoando seus pensamentos
Você se senta assentindo com a cabeça
Todas as respostas – Sim
Por que você não confia em mim
e expõe os seus medos?
Escorrendo, as lágrimas que você conteve
Agora cobrem seus olhos
– Isso é bom pra você?

Eu estarei aqui quando o fogo arder!

Bem-vindo a bordo
Esse é o navio da sua vida
Tão podre que vai se desintegrar
Eu serei a sua canção de ninar a noite toda
E se você se perder, pode segurar minha mão…

E eu estarei aqui quando o fogo arder
(Dentro do seu coração)
Escale as colinas e montanhas
Não se esqueça do que aprendeu!

A vida nos faz sentir o tempo
que não podemos parar
O tempo nos faz viver uma história já contada
O tempo nos faz curar um sentimento interno
Um sentimento que está em nossos corações
Que roubamos…
E eu estarei aqui quando o fogo arder
(Dentro do seu coração)
Escale as colinas e montanhas
Não esqueça o que você aprendeu!
A vida nos faz sentir
(a vida nos faz sentir)
O tempo não podemos parar
O tempo nos faz viver
(o tempo nos faz viver)
Uma história já contada
O tempo nos faz curar
(o tempo nos faz curar)
Um sentimento interior
Um sentimento que está no coração
Que roubamos…

Os Anjos Choram

(Matos, Bittencourt)

Chore na noite dos anjos
Pois suas luzes jamais vão brilhar
Com seus corações cheios de tristeza
Águas enlameadas por toda parte
As cortinas descem para as almas sem salvação
Como eles sofrem ao serem deixados de lado
E as correntezas violentas fluem
Com tão pouca esperança dentro de si

(É como)
Anjos chorando
Já não podem mais suportar
Anjos morrendo
Ampare sua queda

Tente ver a miséria deles
O seu futuro não é como você sonhou
Então tente voar, a resposta se encontra
Nos revoltos céus tenebrosos
(Nos revoltos céus tenebrosos)

Você insiste em simplesmente permanecer
Nesses campos a vida inteira
Você planta sementes que nunca crescem
A colheita não vem
Tamanho esforço para alimentar os poucos
Ainda assim você está esperando, é em vão…
A mudança deve vir agora!

Veja o sol no céu
(Do amanhecer da destruição)
Liberte, liberte o meu coração dessas correntes…
Ouça o choro dos anjos
Dessa vida você não pode se esconder
A mudança deve vir amanhã
Para os solenes olhos lacrimejantes

Refrão

Anjos estão chorando e morrendo
Deve haver alguma saída
Infinitamente você vaga, e ainda assim você reza
Por uma vida melhor
Ninguém vê quando uma mostra
Do seu objetivo se encontra atrás de você
Como os passos dos pelegrinos
Não iluminados!

 

Afaste-se

(R. Bittencourt)

Afaste-se, o temível fogo ardente
Vai deixar suas marcas
para os que não têm desejos
Fique diante de toda a criação
Encare o povo faminto como vermes
Ainda assim imploro pela compreensão
Daqueles que nos governam
Nesse campo as brasas
se extinguem no solo
Por toda parte nós lamentamos

Aí vêm eles de novo
(Dessa vez eles chegam mais violentos
Destruindo nossas únicas chances)
As estrelas não conseguem
encontrar o céu púrpura
(A solidão encontrará sua razão
Valiosas sementes para cada estação)
Espere pelo dia voltar em algum outro dia
E a Igreja
(A Igreja está vendendo consolo
Matando Jesus pela salvação)
Não nos deixe morrer
Me deixe descansar em paz

Longe, por um tempo
Nossos sorrisos tirados
Dos corações de almas despedaçadas

Afaste-se do fogo
Determinado pelo destino
Deixe aqueles pecadores pagarem
como eles roubam!
Pois no dia do julgamento
Como eles se subjugarão
Fique diante de toda a criação
Encare o povo faminto como vermes
Ainda assim imploro pela compreensão
Daqueles que nos governam
Nesses campos
as brasas se extinguem no solo
Por toda parte nós nos lamentamos

Aí vem eles de novo
(Dessa vez eles chegam mais violentos
Destruindo nossas únicas chances)
As estrelas não conseguem
encontrar o céu púrpura
(A solidão encontrará sua razão
Sementes enterradas para cada estação)
Espere pelo dia voltar em algum outro dia
E a igreja
(A igreja está vendendo consolo
Matando Jesus pela salvação)
Não nos deixe morrer
(Tomando todos de desespero
Agora me deixe descansar em paz)
Descansar em paz…
Me deixe descansar em paz…

Jamais Entender

(Matos, Bittencourt)

Ouro branco, uma manhã chegou
Frio ensolarado, refletindo luz
Músicas desconhecidas
Jatos de água fresca lambem o musgo
Coroas brilhantes de silêncio
O rosto molhado pelo orvalho úmido
O vento leva o olhar
Ao redor do campo
Brincando gentilmente
A prata pingou vinho
Que corre dentro
De uma mão adormecida…

O desespero enche o ar
(No seu coração está o pó da raiva)
A loucura batendo em minhas costas
(Sinos soam anunciando um novo dia)
Minha coragem está em algum lugar
Onde o tempo se esqueceu de me levar
(Para onde você está indo agora?)
(Para onde você está indo agora?)
Um dia eles marcarão seus pecados
Nas suas costas como tortura

Eu me pergunto por que
Minha mente está apertada
Como o tempo tempestuoso
E assim parece
Que passos curtos
Levariam séculos

Oh, jamais entender
Nós somos como cavalos selvagens
Indo em direção à curva
Esse lugar onde estou agora,
Cheguei a ele sozinho
Ancorei minha vida para nunca deixá-lo partir…

Eu me pergunto por que
Meus pensamentos estão apertados
Como o tempo tempestuoso
E então parece
Que passos curtos
Levariam séculos
Jamais entender
Nós somos como cavalos selvagens
Indo em direção à curva
Esse lugar onde estou
Eu cheguei a ele sozinho
Ancorei minha vida para nunca deixá-lo partir…

Toda a minha vida serei o caminho
Não vou esquecer
Toda a minha vida é jamais entender
 

O Morro dos Ventos Uivantes

(Kate Bush)

Pelos campos onde sopra o vento forte
Nós rolávamos e caíamos sobre o verde
Você tinha um temperamento forte, como o meu ciúme

Quente demais, ganancioso demais
Como você pôde me deixar?
Quando eu precisava possuí-lo
Eu te odiava, te amava também…

Pesadelos durante a noite
Eles me disseram que eu ia perder a luta
Abandonei meus morros dos ventos uivantes

Heathcliff
Sou eu, Cathy
Venha para casa, estou com tanto frio
Deixe-me entrar por sua janela
Heathcliff
Sou eu, Cathy
Venha para casa, estou com tanto frio
Deixe-me entrar por sua janela

Oh, escurece, fica solitário
Do outro lado, separada de você
Eu peno muito, eu descubro que tudo
Perco sem você
Estou voltando, meu amor
Heathcliff cruel
Meu único sonho, meu único senhor…

Por muito tempo vago na noite
Estou voltando pro seu lado para fazer o que é certo
Estou voltando para casa, para o morro dos ventos
Morro dos vetos uivantes, Heathcliff
Sou eu, Cathy
Venha para casa, estou com tanto frio
Deixe-me entrar por sua janela

Deixe-me tê-la
Deixe-me tomar a sua alma
Deixe-me tê-la
Deixe-me tomar a sua alma
Você sabe que sou eu
Você sabe, sim

Heathcliff
Sou eu, Cathy
Venha para casa, eu estou com tanto frio
Deixe-me entrar por sua janela
Sou eu, Cathy
Venha para casa, eu estou com tanto frio
Deixe-me entrar por sua janela
Sou eu, Cathy
Venha para casa, eu estou com tanto frio
Sou eu, Cathy
Venha para casa

(Wuthering Heights é uma música de Kate Bush, cantora de grande prestígio nos anos 70, baseada no romance de Emily Brontë. O romance já foi adaptado para o cinema com o título de O Morro dos Ventos Uivantes, filme de William Wyler (diretor de Ben-Hur) que contava no elenco com Laurence Oliver (como Heathcliff) e Merle Oberon (como Cathy), os atores principais. O filme foi lançado em 1939, sendo o primeiro de uma série de 4 adaptações cinematográficas que o livro de Emily Brontë teve até o momento. No Brasil tivemos a novela O Morro dos Ventos Uivantes de Lauro César Muniz, transmitida pela TV Excelsior em 1967, também baseada no romance homônimo da escritora.)

 

As Ruas do Amanhã

(Matos)

Dias de um vazio palpitante
Tão distantes, nenhum arrependimento
De viver ao lado do perigo
Saindo da despreocupação
Ainda não gostava dos extremos de uma ponte
Que não leva ninguém a lugar algum

Me deixe fugir
Livre das mentiras, eu não vou esquecer
Escapando dessas correntes
Eu encontrarei o meu amor
Mais uma vez voando
Uma nuvem no Céu
E agora?
Me diga como
Andar nas ruas do amanhã
Um dia, de algum modo
Então saberemos
Como as coisas deram erradas
E como?
Me mostre agora
Viver em paz, sem "para sempre"
O momento permanece
E flui…
Não o deixe escapar!

Como você, se ajoelha e reza
Me conte
As coisas que você fez só
(me diga agora…)
Como você, se ajoelha e reza
Me conte
As coisas que você fez só…

Me deixe fugir
Livre das mentiras, eu não vou esquecer
Escapando dessas correntes
Eu encontrarei o meu amor
Mais uma vez voando
Uma nuvem no Céu
E agora?
Me diga como
Andar nas ruas do amanhã
Um dia, de algum modo
Então saberemos
Como as coisas deram errado
E como?
Me mostre agora
Viver em paz, sem "para sempre"
O momento permanece
E flui…
Não o deixe escapar!

 

Mau Presságio

(Matos, Bittencourt)

É hora de acreditar no sonho que você viu
Num mundo devastado e perverso
Um dia o sol vai brilhar para todos nós
Aproveite a liberdade que você previu…
A milhas de distância
Você se dirige ao desconhecido
E não há como voltar
É hora de reclamar
Ninguém sente a verdade
Viver na multidão
Cansado da sua própria futilidade
Pétalas mortas espalhadas ao seu redor
Hinos de traição
Chamando você para o ataque

Mau presságio
Você é muito mais rápido
E muito mais alto
Não há tempo para se preocupar!
É o fim,
Não há mais tempo
Para chorar e sentir a dor…

De manhã
Você se levanta
Para começar a luta
Você fica tão solitário…
Sem qualquer perspectiva
Até um outro dia!
Corra, não espere pelo sol
Porque ele está se pondo para suas esperanças
Não olhe muito para trás
Porque as sombras
Elas ainda permanecem…
Até o fim!

É hora de acreditar no sonho que você viu
Num mundo devastado e perverso
Um dia o sol vai brilhar para todos nós
Aproveite a liberdade que você previu…
É hora de acreditar no sonho que você viu
Num mundo devastado e perverso
Um dia o sol vai brilhar para todos nós
Aproveite a liberdade que você previu…

Corra, não espere pelo sol
Porque ele está se pondo para suas esperanças
Não olhe muito para trás
Porque as sombras
Elas ainda permanecem…
Até o fim!
E não deixe que o seu orgulho
Faça o seu sangue
Correr frio em vão…
Até o fim!

 

A Criança Imortal
I – As Palavras de Separação

Anos se passaram – Desperta novamente
Em uma estrela brilhante – Que brilha tão longe
A criança imortal – Permanece no interior
Brincando – Um futuro negado
Bem acima de você, o anoitecer é um esclarecimento

Tateando a névoa
Demorando-se…
Soprem
Ventos-guia
Me levem para o alto
Onde eu possa ver
As luzes escondidas
Que piscam ao longe…
Soprem
Ventos-guia
Me levem para o alto
Onde eu possa ver
As luzes escondidas
Que piscam ao longe…
E então
Um sonho pintado
Cores que se mesclam
Contidas em molduras finas
Lá eu permanecerei
Lá é o meu lugar…

II- Renascença

(Instrumental)

 
 

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s