SHAMAN REPORT – PARTE 5 – BY ANDRE MATOS


Caros Amigos:

Estamos de volta com o tão esperado “Shaman Report parte 5”!!!

Em primeiro lugar gostaria de me desculpar pela demora em dar notícias; na verdade foi bastante difícil coordenar o final das gravações, mixagens, turnês promocionais e concertos… Mas agora estamos aí!!!

Bem, mais uma vez voltando no tempo, mais precisamente no início do mês de Março, seguíamos no nosso exílio alemão somente o Hugo e eu (além do Philip, que acabou ficando mais tempo). Nesse período o Hugo já havia praticamente terminado de gravar todas as bases e estava às voltas com os solos. Foi usado todo o tipo de equipamento para guitarras, desde amplificadores e instrumentos mais antigos, até coisas mais modernas, como amplificadores virtuais, simuladores de efeitos, etc. De qualquer maneira, o método de gravação sempre se ateve ao analógico, o que conferiu presença e peso totais às guitarras do Hugo. Posso dizer que ele até teve bastante liberdade para colocar o seu “toque” pessoal nas gravações, praticamente sem nenhuma interferência do produtor Sascha Paeth. Desta maneira, vocês poderão ter certeza de que é mesmo o Hugo quem está tocando no disco (ao contrário de muitas bandas por aí, que só têm músicos de “fachada”).

Terminado o seu trabalho, Hugo se despediu de todos, debaixo de um frio de 0 grau, com neve por todos os lados. Na verdade, até emocionado, pois essa era a primeira vez que ele via a neve – e justo no seu último dia!… Um presente “dos céus”, talvez??? Porém Hugo não sabia o que lhe esperava. Chegando ao aeroporto de Hannover, seu avião de conexão com destino a Amsterdam atrasou – resultado: ele perdeu o avião para o Brasil! A companhia aérea então providenciou uma alternativa um tanto arriscada: fazer uma conexão imediata em Nova Iorque! Bem, com o alto número de atentados e seqüestros de hoje em dia, eu pensaria duas vezes em voar sobre Nova Iorque, porém lá foi o Hugo, encarar mais uma viagem que acabou levando 30 horas em vez de 12! Mas de qualquer maneira, chegou vivo e bem no Brasil, segundo o que me contaram!!!

Fiquei então sem os meus companheiros de banda em Wolfsburg, com a árdua missão de simplesmente terminar todos os vocais, pianos e os arranjos de teclado! O que foi sendo um pouco “amenizado”, devido às várias visitas que continuamos recebendo no Gate Studio.

A primeira delas (e talvez a mais divertida) foi a de Luca Turilli, guitarrista do Rhapsody, que estava lá para terminar algumas coisas do seu disco solo… Para quem não o conhece, pode até ser que ele meta algum medo, com o seu jeito de “caçador de dragões”… Mas na verdade o Luca é um cara muito legal – e muito alegre e divertido, também! Passamos bons momentos juntos no estúdio.

Depois foi a vez de receber alguns músicos convidados que fazem parte do “Ritual”, tocando os mais diversos instrumentos… Como vocês já puderam ler aqui no “Shaman Report parte 4” escrito pelo Ricardo, uma boa parte disso foi mesmo gravada no Brasil – porém houve também outras gravações na Alemanha e até mesmo nos EUA.

Dentre esses músicos destacam-se a soprano lírica Rannveig Sirgurdadóttir. Sim, o nome é complicado mesmo, pois trata-se de uma Islandesa (a única que eu conheço, além da Björk!). E parece que a Islândia é mesmo uma terra de boas cantoras – a voz de Rannveig é algo fenomenal! Depois recebemos a flautista Annette Barryman, que toca flautas medievais e barrocas, muito importantes em uma das músicas do álbum. Porém o convidado mais aguardado era mesmo Tobias Sammet (vocalista do Edguy). Eu havia encontrado o Tobias algumas semanas antes, pois fui convidado a participar de um evento da revista Hard Rock francesa em Paris. Na ocasião, fui chamado para entregar ao Tobias o troféu por ter sido eleito o melhor cantor do ano de 2001. Algo que fiz com bastante satisfação pois, além de sermos amigos de longa data, acho que ninguém mais do que ele mereceria este prêmio. Realmente, um prêmio que coroa a Inteligência no mundo do Metal!!! Essa foi, aliás, uma festa surpreendente; acho que nunca antes haviam sido reunidos tantos astros do Rock Pesado em um só lugar. Só para citar alguns dos presentes, Gamma Ray, Edguy, Primal Fear, Judas Priest, Doro, Saxon, Dream Theater, Rammstein, Blaze, Sonata Arctica, Shaman (eu!)… Fiquei muito feliz com a recepção do público francês quando pisei no palco para entregar o troféu: foi uma demonstração de carinho que eu pretendo retribuir em breve na nossa turnê!

Bom, voltando à participação do Tobias, tive primeiramente a idéia de chamá-lo para me ajudar com os backing vocals, e então marcamos uma data. Eu sabia que ele não iria recusar, pois afinal ele me deve uma (ou melhor, duas!) pela minha participação no Avantasia! (a propósito: alguém aí já reparou que o meu nome saiu errado na edição brasileira deste disco?… Por que será??…). Começamos então com os backings, que ficaram muito bons. A voz do Tobias acabou encaixando muito bem com a minha – e foi aí que o Sascha e eu tivemos a idéia: por que não convidá-lo para fazer uma participação de verdade no disco??? Foi então que decidimos que ele poderia dividir os vocais da última faixa comigo. Essa música se chama “Pride” e eu acho que ela reflete bem esse espírito de banda de rock, é uma música mais solta que nós compusemos praticamente dentro do estúdio – e que deixamos para o final do disco justamente para dar uma “quebrada” no clima mais sério do resto das músicas. Funcionou perfeitamente o nosso dueto – e eu tenho certeza de que todo mundo vai curtir muito!!! Eu por fim fico muito orgulhoso de ter o Tobias cantando ao meu lado, principalmente porque, além de um grande cantor ele é um dos meus melhores amigos nesse meio. O mesmo posso dizer de músicos como o Fábio Ribeiro, o Marcus Viana e o Derek Sherinian. São todos grandes amigos e grandes músicos, os quais admiro muito – e que só vêm engrandecer o trabalho, até mesmo porque são participações que trazem uma energia muito positiva!… Ok, seguindo o nosso cronograma, já em meados de Abril o tempo começava a apertar, eu tinha de voltar ao Brasil logo, para poder ensaiar junto com a banda o concerto que faríamos em duas semanas na Espanha… mas isso é assunto para um outro Report!

Entrei então num ritmo alucinante; quando não estava cantando os vocais principais, estava às voltas com os últimos arranjos de teclados e orquestra – e até o último dia tentei fazer as 24 horas do relógio se multiplicarem por muitas… Mas no final tudo deu certo.

Voltei ao Brasil já com algumas músicas mixadas debaixo do braço e apenas aguardando a finalização do nosso amigo Sascha Paeth.

O que eu queria dizer a todos vocês é que eu tenho a certeza de que “Ritual” não é um disco qualquer. Foi uma coisa feita com muita paixão e garra, que levou o tempo necessário que tinha de levar. Encaramos todos os compromissos de frente, inovamos na qualidade musical, nos desesperamos e nos alegramos. Foram dias difíceis – mas que vão ficar gravados na nossa memória como uma eterna conquista.

Hoje, algumas semanas depois de já ter escutado muitas e muitas vezes o resultado final, posso afirmar (sob o risco de qualquer um de vocês nunca mais confiar em minhas palavras) que, com toda a certeza, esse é o melhor álbum que já fiz em toda a minha vida. E acho que os meus companheiros Luís, Hugo e Ricardo também compartilham dessa opinião.

Como não quero deixar todos ainda mais ansiosos pelo lançamento, vou parando por aqui – e espero que vocês tenham realmente curtido essa viagem, juntos, pelos porões das gravações do “Ritual”…

Só me resta ainda dizer um “Muito obrigado pela espera” e com toda certeza vocês não irão se decepcionar!!!

Um grande abraço e até o lançamento!

Andre Matos

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s