Luís Mariutti


Ele vivenciou o auge do Metal Melódico na formação clássica do Angra, gravou bons trabalhos com o Shaman e integrou o line-up da banda Andre Matos. As décadas dedicadas ao Metal renderam ao baixista Luis Mariutti o título de um dos grandes músicos que a cena já viu.

O Metal Clube conversou com o baixista que, dentre vários assuntos, falou sobre seu novo projeto e sobre outras paixões, como o Muay Thai. Acompanhe!

Metal Clube – Você começou a ouvir Heavy Metal logo aos 10 anos de idade e acabou tornando-se um dos grandes músicos brasileiros. Conte-nos como surgiu essa paixão pela música e de onde veio o interesse de se tornar um músico profissional.

Luis Mariutti – Na época o meu irmão mais velho começou a comprar os discos de metal e daí surgiu o interesse pelo som. Resolvi aprender a tocar o baixo por influência do Steve Harris e porque queria ter uma banda com os meus amigos da escola. A princípio todo mundo que tocava tinha que ter outra profissão e minha intenção era sobreviver como professor de baixo e tocando na noite. Só que as coisas foram acontecendo e a minha primeira oportunidade foi em uma banda que deu certo, tive que me profissionalizar.

Metal Clube – Você integrou algumas das principais bandas da história do cenário nacional como Angra, Shaman e Andre Matos. Ao todo foram vários discos, inúmeras turnês e grande reconhecimento ao longo dos anos. Você se considera um músico totalmente realizado? Como define o grande ponto alto de sua carreira?

Luis Mariutti – Totalmente realizado não. Na minha carreira tive vários pontos altos, desde o disco de ouro que ganhamos no Japão com o “Angels Cry”, a transição do “Holy Land” para o “Fireworks”, onde acabamos tocando nos maiores festivais do mundo, no Le Zenith de Paris com participação do Bruce Dickinson. E com o Shaman quando gravamos o DVD Ritualive no Credicard Hall. Mas acredito que o melhor ainda está por vir.

Metal Clube – A demo tape “Reaching Horizons” (1992), gravada com o Angra, foi um dos primeiros trabalhos gravados por você. Daí para frente vieram grandes clássicos como “Holy Land” (1996), com o Angra e “Ritual” (2002), com o Shaman. Qual a grande diferença entre o Luis Mariutti do início de carreira se comparado com o músico que gravou “Mentalize” (2009), último disco da banda Andre Matos?

Luis Mariutti – A principal diferença, e não poderia deixar ser, é a maturidade. Depois de todo esse tempo gravando com os maiores produtores do mundo vi que o que importa é a pegada, a interpretação. Muito mais do que solos e malabarismos. Quando eu comecei a época pedia mais virtuosismo, eu tocava com baixo de quatro cordas, encordoamento mais leve. Hoje toco com muito mais peso e tento fazer a linha que a música pede. Isso não significa que eu utilize menos técnica, pois tocar simples é tão difícil quanto usar um milhão de notas.

Metal Clube – Falando do Angra, o grupo foi bastante criticado após a aparição no Rock in Rio 2011, além de seu último trabalho, “Aqua”, estar longe de ser unanimidade entre os fãs. Você tem acompanhado os últimos trabalhos do Angra? Como avalia o futuro da banda juntos aos fãs?

Luis Mariutti – Após a minha saída, tanto do Angra como do Shaman, quase não acompanho o que se passa, apenas o que surge na grande mídia. A única coisa que penso sobre a sobrevida das bandas é que quando você coloca o Business na frente da música os fãs são os primeiros a perceber.

Metal Clube – Já alguns meses você deixou a banda Andre Matos. A notícia foi pouco divulgada nos meios de comunicação e, até hoje, pouco se sabe sobre essa decisão. Qual o principal motivo de sua saída?

Luis Mariutti – Eu me cansei um pouco da vida em turnês, precisava de um tempo para ficar em casa com a minha família e aproveitei este momento para me dedicar a minha outra paixão que é o Muay Thai. Nestes quase dois anos que deixei de fazer shows com o Andre, me especializei e hoje participo de competições e dou aulas dessa arte marcial.

Outro fator que me levou a deixar o projeto solo é que eu sempre gostei de fazer parte de uma banda e no Andre não me sentia dessa forma. Hoje toco com amigos que são grandes profissionais da música e faço um som da maneira que sempre achei e sempre deu certo, que é fazendo jams, sem pressão de gravadoras, empresários, ou um público específico ditando o que tem que ser feito.

Metal Clube – Você construiu boa parte de sua carreira ao lado do vocalista Andre Matos, um dos ícones do nosso Metal. Como foi conviver tantos anos com um músico de qualidade incontestável como Andre?

Luis Mariutti – Foi como conviver com todos os outros. Construí com todos eles duas grandes bandas do Metal nacional, todos se profissionalizaram e atingiram um nível no qual poderiam estar em qualquer banda internacional.

Metal Clube – Recentemente você divulgou que está procurando um vocalista para a sua banda. Os interessados deveriam enviar vídeos cantando faixas sugeridas por você. De onde veio a idéia de buscar um vocalista publicamente? O que você pode nos dizer sobre esse projeto?

Luis Mariutti – Esse concurso surgiu com a idéia de buscar novos talentos, pessoas que possivelmente não teríamos contato de outra maneira. Por coincidência o escolhido, Fábio Colombini, é um amigo de infância, e ficamos surpresos quando vimos o seu vídeo. Ele mandou ‘Somebody to Love’ do Queen e entrou em sintonia com a banda no primeiro contato. Ainda é um excelente músico, vocalista, letrista.

Metal Clube – O Heavy Metal melódico é um estilo que, para muitos, está saturado e com poucas novidades nos últimos anos. Há quais pontos você credita esse declínio do estilo e a notória ascensão de subgêneros como o Thrash e o Death Metal?

Luis Mariutti – Infelizmente muitos garotos que vieram por esta onda Metal melódico começaram e seguiram curtindo apenas isso. Quando comecei a tocar todo mundo gostava de tudo. Desde o Blues até um Black metal. Íamos a todos os shows, curtíamos a música pela música. A partir do momento que se segmentou, o cenário foi perdendo força. Na verdade você pode ser melódico, você pode ser Black metal, você pode ser Hard ou o que for. Acho que todos tem que beber na mesma fonte e ter o respeito pelas bandas que formaram tudo isso.

Metal Clube – Obrigado pela entrevista. Deixe um recado para nossos leitores.

Luis Mariutti – Obrigado a todos que leram essa entrevista, esperem que dentro de alguns dias o primeiro single Mercy, da banda MotorGuts vai estar disponível na internet. E como disse Ronnie James Dio: Uma música boa é uma música boa, independente do estilo.

Melhor disco de sua carreira: Ritual – Shaman.

Melhor show de sua carreira:  Tive muitos, melhores por diversos fatores, é até injusto citar apenas um. Mas em Paris tivemos um público insano com Angra (Turnê Holy Land) no Bataclan.

Grande banda nacional na atualidade: Korzus.

Um ídolo: Dio.

Defina sua carreira em uma palavra: Luta.

Veja também:

Shaman, com Luis Mariutti – Distant Thunder (DVD Ritualive), clique aqui

Angra, com Luis Mariutti – Carry On (Monters of Rock 94), clique aqui

http://www.metalclube.com/novo/entrevistas/11563-luis-mariutti.html

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s