Viper no Via Marquês, ontem!

7485202668_f94dc62b9c_b

Conforme forem surgindo mais fotos e vídeos, vou atualizando…desculpem a falta de créditos, mas os vídeos estão no canal de cada usuário do Youtube, e as fotos vieram do Facebook do Viper, não sei quem são os fotógrafos (exceto esses que escreveram nelas, óbvio :P). E que venha esse DVD, afinal, um quarto de século no metal não é para qualquer um!!!😉

(diz aí, no fundo no fundo eles não mudaram nada, continuam fanfarrões *rsrsrs*)

leiam uma resenha do show aqui

fotos do meet and greet aqui

texto do Felipe Machado aqui

outra resenha aqui

fotos de Denis Ono

essas são da Karina Lima

e essas são da fotógrafa Patricia Laroca:

também tem fotos do Danillo Facchini

Editado: Aí em cima eu coloquei os links de resenhas, mas vou copiar os textos e deixar aqui porque, por experiência própria, sei que depois os sites saem do ar e as resenhas se perdem…

Viper em São Paulo – 01 de julho

Domingo, dia 1 de julho foi a vez de São Paulo conferir o tão aguardado show de retorno do Viper com sua formação original para a turnê “To Live Again Tour”. O show, que aconteceria no Via Marquês, estava marcado para começar as 20:00 e já antes das 19:00 a fila na porta do local já era imensa, dando volta no quarteirão.

Por: João Paulo de Matos Mota / Fotos: Edu Lawless

Dentro da casa pudemos perceber uma grande estrutura montada para a gravação do DVD, com câmeras espalhadas por todo canto, grua e um set de iluminação excelente, além também do público presente estar repleto de rostos conhecidos, entre músicos e jornalistas.

DSC_0673

Com 1 hora de atraso – o que gerou algumas manifestações negativas do público antes do show – Guilherme Martin (bateria), Felipe Machado e Hugo Mariutti (guitarras), Pit Passarell (baixo) e Andre Matos (vocal) sobem ao palco para oferecer ao público um show histórico, comemorando os 25 anos de lançamento do petardo “Soldiers of Sunrise” e para marcar esse momento para sempre, nada melhor do que o registro do show em um DVD, que deve ser lançado em breve.

DSC_0678

As reclamações pelo atraso logo foram esquecidas assim que os primeiros acordes “Knights of Destruction” foram entoados e todos foram à loucura cantando cada verso, cada refrão de pulso erguido.

Assim como o show que ocorreu em Santo André (leia o review aqui), a primeira parte do show foi totalmente dedicada ao primeiro trabalho da banda que foi lançado em 1987, o “Soldiers of Sunrise”, seguido por um intervalo com a exibição do vídeo com depoimentos de integrantes e ex-integrantes e algumas imagens do já citado fatídico show que quase incendiou o colégio Rio Branco.

DSC_0716

Após a exibição do vídeo era a vez de vermos a execução dos clássicos do “Theatre of Fate” de 1989 e a música escolhida para dar início a serie foi a “At Least A Chance”, seguida pela “To Live Again”, que serviu de inspiração para o nome dessa turnê de reunião. Para tornar esse show ainda mais histórico, o grande sucesso da banda, “Living For The Night” teve a participação especial de Yves Passarell. No momento que o Andre chamou o Yves ao palco, até fez uma brincadeira dizendo que ele estava com saudades de tocar metal, uma vez que hoje ele toca com o Capital Inicial.

DSC_0828

O encore foi quase um show a parte, onde tivemos a oportunidade de conferir a voz do Andre em uma das suas melhores fases cantando clássicos do “Evolution”, que de acordo com ele mesmo, gostaria muito de tê-lo em sua discografia. Nessa parte do show, Yves Passarell ainda voltou ao palco para tocar a “Rebel Maniac” junto com a banda.

DSC_0088

Após 2 horas e meia de show, era chegada a hora de irmos embora com um sentimento de nostalgia que será difícil de esquecer, pois esse show ficará marcado na história do Heavy Metal brasileiro, com o retorno – mesmo que para apenas 1 turnê (o que torcemos que não pare apenas por aí) – de uma das bandas mais importantes do cenário metálico nacional.

DSC_0717

Setlist Viper:

1. Knights of Destruction

2. Nightmares

3. The Whipper

4. Wings of The Evil

5. Signs of the Night

6. Killera (Princess of Hell)

7. Soldiers of Sunrise

8. Law of the Sword

9. H.R.

———-

Vídeo

———- 

DSC_050110. To Live Again

11. A Cry From The Edge

12. Living For The Night

13. Illusions of Time

14. Theatre of Fate

15. Moonlight

16. Prelude to Oblivion

———-

17. Evolution (intro)

18. Crime

19. The Spreading Soul

20. Rebel Maniac

21. We Will Rock You (Queen cover)

Agradecimentos à equipe Wikimetal pelo credenciamento e profissionalismo demonstrado com a equipe Rock Express.

VIPER Live in São Paulo… sem palavras

Sem palavras para descrever o show de São Paulo. Ao longo desses 25 anos desde o lançamento do ‘Soldiers of Sunrise’, posso dizer que já tocamos em muitas cidades em todo o mundo. Ser recebido nessas outras cidades é sempre algo emocionante, imaginar que aquele som que a gente fazia sem pretensão alguma na garagem mexe com pessoas em lugares tão distantes e culturalmente diferentes. Mas tenho que confessar que ser recebido como fomos ontem em nossa própria cidade, entre nossos amigos e fãs de longa data, foi simplesmente incrível.

Acho que estávamos devendo um show desse nível para a nossa querida cidade, que sempre nos acolheu e que nos deu a estrutura para seguir em frente. São Paulo é maravilhosa, não importa o que digam nem o que os imbecis governantes se esforçam para estragar. Não vão conseguir, jamais!

Claro que havia uma certa ansiedade, pelo menos de minha parte. O Via Marquês, palco do show de ontem, é uma casa bem grande, com capacidade para quase duas mil pessoas. E nosso último show por aqui foi há uns bons anos, os discos estão fora de catálogo e só voltamos um pouco à mídia recentemente, após o anúncio da volta. Mas o primeiro show anunciado foi justamente no Via Marquês, portanto não sabíamos exatamente se aquele era um passo adequado ou maior que as pernas. Felizmente deu tudo certo e o show foi sold out, esgotado. Obrigado a todos que estiveram lá.

Foi uma aposta nossa, mas também uma aposta do Wikimetal, produtora da turnê. Os caras acreditaram nessa ideia e nos convenceram a seguir em frente, então podemos dizer que ‘a culpa’ também é deles… e posso dizer, sem sombra de dúvida, que a produção estava impecável. Muito provavelmente foi o melhor show do Viper em termos de produção… já em relação ao show em si, acho que quem estava na plateia tem melhores condições de julgar do que eu…

Um abraço também ao diretor Maurício Eça e à produtora Dogs Can Fly, que filmaram imagens lindas para o futuro DVD ao vivo da turnê do Viper. Tinha até uma grua me sobrevoando, no início fiquei assustado porque achei que era alguma nave do ‘Alien’, sei lá… (acho que eu estava meio desacostumado com isso). Por falar nisso, alguém tem alguma sugestão para o nome do DVD? Não consigo tirar ‘Viper Live in São Paulo’ da cabeça, embora obviamente essa não seja a opção mais original do mundo. Mas quem disse que nós temos que ser originais? Talvez seja a hora de esquecer a criatividade e fazer uma direta homenagem a essa cidade sensacional, reconhecer que tudo o que somos também é reflexo de ambiente multicultural onde vivemos…

Afinal, foi graças a esse monstro urbanoide que nos conhecemos, não? Nas cidades pequenas, as crianças brincam nas ruas, vivem mais livres. Mas em São Paulo só nos resta brincar nos playgrounds dos prédios… e foi aí que o Viper surgiu. Tem sido uma honra tocar com esses caras tão legais, que eu conheço há tanto tempo, e que conheci justamente devido à particularidade paulistana de brincar com os amigos do prédio. Quem diria que esses amigos lotariam um show 25 anos depois de lançar aquele longínquo primeiro disco? Ninguém diria, o destino só é fácil de adivinhar quando a gente olha para trás. O que o futuro nos reserva? Não tenho a menor ideia. Mas sei que vamos lançar, finalmente, um DVD ao vivo filmado em um show na nossa cidade, nas nossas ruas, um lugar onde temos orgulho de ter nascido e que nos deu a oportunidade de sermos quem somos.

São Paulo, eu te amo.

Confira a cobertura do primeiro show da volta do Viper na capital paulista – por Heverton Souza

VIPER
Via Marquês – SP/SP
01/07/2012
Texto e Fotos: Heverton Souza

A noite de domingo, dia 01 de julho de 2012, já pode ser incluída na história da cena Metal paulistana. Parece exagero colocar desta forma, mas o primeiro show na capital paulista da tour “To Live Again”, da banda Viper foi mesmo memorável aos que estiveram presentes e ficará marcado na história da banda, pois o mesmo foi filmado para um DVD. Além disso, a casa de shows Via Marquês tem capacidade para mais de 2 mil pessoas e o show estava simplesmente “sold out”, ou seja, casa lotada com todos os ingressos vendidos. Trata-se de números que não são mais usais sequer para bandas internacionais de mesmo porte do Viper, então é algo louvável o que a banda conseguiu neste dia.

Viper em SP: Andre Matos

Obviamente que com tudo isso, o show não poderia ser menos especial e não o foi. Na verdade, foram mais de duas horas de apresentação da banda tocando com membros de formações clássicas como Andre Matos (vocais) e Guilherme Martin (bateria), ao lado de Felipe Machado (guitarra), Pit Passarell (baixo) e Hugo Mariutti, como guitarrista convidado para o posto de Yves Passarel, guitarrista do Capital Inicial que fez parte da primeira formação do Viper. Isso tudo executando na integra os álbuns Soldiers of Sunrise, que está completando 25 anos,Theatre of Fate, além de alguns “bônus”.

Cerca de uma hora antes do horário marcado para a apresentação (20h), era de se encher os olhos a fila formada aos arredores da casa com pessoas de diferentes gerações de headbangers, boa parte destes trajando camisetas da banda. Já dentro da casa era fácil se deparar com diversos nomes do cenário Metal paulistano como membros da banda Nervosa, Threat, além de Vitor Rodrigues (ex-Torture Squad) ou Ricardo Batalha, redator-chefe da revista Roadie Crew, maior publicação brasileira voltada ao estilo. Alguns mais apreensivos, mas todos muito ansiosos pelo que estaria por vir.

Soldiers of Sunrise
Com uma hora de atraso, muito provavelmente para permitir a entrada de todo o público, às 21h a equipe do site Wikimetal – um dos apoiadores desta volta da banda, veio ao palco falar sobre o show, a gravação do DVD e claro, instigar o público que a esta hora já estava ensandecido.

Viper em SP: Felipe Machado

Eis que durante a intro, Guilherme Martin, Felipe Machado, Pit Passarell e Hugo Mariutti foram assumindo seus postos até que deram início a “Knights of Destruction “ – faixa de abertura do álbum Soldiers of Sunrise, de 1987, até que Andre Matos entrou em palco e colocou sua voz aguda para trabalhar. E se alguém sentiu alguma frieza inicial, ela acabou já em “Nightmares” quando Andre puxou o coro e todos responderam com o “Oooh Oooh” original da música. Arrepiante! Não menos intenso foi fazer parte do coro de “The Whipper”.

É impressionante como as composições de Soldiers of Sunrisesoaram atuais, mas sem perder seus feelings originais. “Wings of the Evil” e “Signs of the Night” com seus fortes refrãos só aumentaram a histeria do publico e são exemplos de porque o Viper é um dos precursores do Heavy Metal Melódico que no fim dos anos 80 e começo dos anos 90 era um estilo muito forte e inspirado, mas hoje não passa de um som plástico e sem vida, salvo raríssimas exceções.

A instrumental “Killera (Princess Of Hell)” e ‘speed’ “Law of the Sword”, mostraram o quão coeza está essa formação, : Hugo mantendo-se mais discreto – afinal ele nunca fez parte do Viper até então, mas preciso em suas execuções, Guilherme sentando o braço sem dó em seu kit e sem firulas, Andre cantando as músicas com interpretações mais próximas possível das originais, mesmo com toda a técnica e alcance que adquiriu ao decorrer de sua carreira e Felipe Machado sempre o mais compenetrado e executando riffs e solos como se fossem as últimas notas de sua vida. Faltou alguém? Claro que sim! Estamos falando de Pit Passarell e ele é mesmo um caso a parte. Era notável nos rostos dos músicos que ele era o maior motivo para esta reunião e o ‘rebel maniac’ não conseguia esconder a felicidade por estar vivendo aquele momento, expressasse isso sorrindo a todo tempo, chamando o público, dançando (!!!?) ou, obviamente, tocando baixo. O show era desse punk que é um verdadeiro herói da música nacional e que deveria ser reverenciado.

Viper em SP: Pit Passarell

Voltando à apresentação… Andre apresentou “H.R”, questionou ao público se eles sabiam o significado da sigla “H.R” (Heavy Rock), lembrou que esta música tem um pé no Punk Rock e pediu para que a pista fizesse uma roda “civilizada”. Foi vaiado pelo adjetivo, mas atendido. E assim terminou a primeira parte do show.

Durante o intervalo o público pôde conferir um vídeo de pouco mais de dez minutos com depoimentos dos músicos e de ex-músicos da banda, além de imagens antigas e histórias clássicas/hilárias.

Theatre of Fate
Finalizado o vídeo, a tivemos intro “Illusions” e a banda voltou executando o álbum Theatre of Fate, de cara com “At Least a Chance”, emendando com a nervosa “To Live Again”, faixa que deu nome à esta turnê de reunião da banda. A frase de guitarra de “A Cry From the Edge” executada por Felipe, chamou o público a cantar a melodia da música em mais um momento emocionante.

Era chegada a hora do clássico mor da banda: “Living for the Night” e para a execução desta foi chamado Yves Passarel para completar o time e o que se viu sobre o palco foi um clima de amizade contagiante que tomou a casa e formou um coral de 2 mil pessoas num dos pontos altos do show. Andre passa o microfone para Pit que expressou a felicidade de estar com seu irmão ao lado, apresentou toda a banda e em seguida foi apresentado por Andre, mas se atreveu a começar uma das estrofes da música e logo foi cortado, numa brincadeira do vocalista.

Viper em SP: Hugo Mariutti, Andre Matos, Pit Passarell, Yves Passarel e Felipe Machado

A sequência veio com a faixa “Theatre of Fate”, a balada “Moonlight”, com Andre tocando um teclado para reproduzir o piano da faixa original e, mudando um pouco a ordem original do álbum, “Prelude to Oblivion”, encerrando a execução do álbum de 1989. A banda deixou o palco mais uma vez, mas o show não parou por aqui…

O Bis
A banda voltou em poucos minutos com Pit ameaçando cantar “Evolution”, mas deixando todos na vontade. Tocaram então faixas da era Pit nos vocais como “Crime” e “The Spreading Soul”, Em seguida era a vez de “Rebel Maniac” maior hit desta fase anos 90 da banda e que teve seu refrão cantado em peso pelos presentes. Infelizmente todas aqui foram cantadas por Andre e não pelo baixista. Digo isso porque por mais técnico que seja o vocalista, aquela energia mais agressiva da voz grave de Pit nunca será alcançada por ele, mas isso não significa que tenha sido um momento ruim do show, porque simplesmente não houve momento ruim. O encerramento se deu com o clássico cover de We Will Rock You (Queen).

Não há uma só pessoa que esteve presente nesta noite que saiu dela insatisfeita. A banda abordou os principais momentos de sua carreira com os seus músicos mais relevantes e tudo de maneira muito espontânea, longe de uma possível burocracia avarenta, pois o clima ali era mesmo de uma reunião de família. A nós, meros primos destes celebres irmãos, só resta torcer para que esta volta vá além de uma tour de celebração, mas se tiver de ser apenas isso, posso garantir que todos que a presenciarem levarão uma doce lembrança para o resto de suas vidas.

Viper em SP: Andre Matos

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS DO SHOW:

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

2 thoughts on “Viper no Via Marquês, ontem!

  1. movimentodoexistir says:

    O Show foi dez !!! Adorei as fotos. Também fiz algumas…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s