Resenha – Andre Matos (Teatro Ciee, Porto Alegre, 03/05/13)


Por Nayara Pantaleão

Com os ingressos esgotados uma semana antes do show, ANDRE MATOS é recebido pelos fãs de maneira calorosa e empolgante. A euforia por presenciar a comemoração de 20 anos do “Angels Cry” estava estampada na face de cada um que estava no Teatro Ciee na sexta-feira, 03 de Maio de 2013. O ex-vocalista do VIPER, ANGRA e SHAMAN, não decepcionou nenhum minuto os fãs que estavam presentes, mostrando seu trabalho solo mais recente, “The Turn of the Lights” (2012) e também um pouco de Time to Be Free (2007).

Fotos por Liny Rocks (www.facebook.com/photoslinyrocks)

Poucos minutos após as 20h, os paulistanos da KING OF BONES, entraram com tudo, impressionando a plateia, apresentando seu álbum de estreia “We are the Law”, primeira do set que chegou para ficar, bem recebida pelos gaúchos. Rene Matela (guitarra), Renato Nassif (bateria), Júlio Federici (voz) e Rafael Vitor (baixo) proporcionaram um set curto, com riffs marcantes. Destaque para “Broken Dreams” a mais pesada do álbum e Rise and Fall” que mais levantaram o público. Rene Matela levou o show muito bem, dando uma bela improvisada em “Perry Mason” (OZZY OSBOURNE) que fechou com categoria a apresentação, apesar da corda de sua guitarra ter estourado, seu solo foi de exímia habilidade. A banda deixou o palco com a certeza de dever cumprido e com o público clamando seu nome, num show de cerca de 30 minutos.

Imagem

Imagem

Passada meia hora para a troca de equipamentos sobem ao palco Andre Matos (vocal), Hugo Mariutti (guitarra), Bruno Ladislau (baixo), André Hernandes (guitarra) e Rodrigo Silveira (bateria), com uma introdução de 5 minutos, o show inicia com “Liberty”, na sequência “I Will Return” e “Course of Life”. Andre Matos, com todo seu carisma, cumprimenta o público e diz o quanto estava feliz pelo show “sold out”. O teatro se agitou quando os primeiros acordes de “Rio” são tocados, a plateia se levantou e vibrou com a banda. Após um pequeno tempo esperando pela introdução da próxima faixa, Andre Matos volta ao palco e brinca, dizendo que ocorreu um erro no playback que dá início a linda “Fairy Tale”, os fãs vão à loucura com seus agudos perfeitos.

Sem muito tempo para respirar, Stop! é a próxima faixa que agita a galera, que não deixava de responder aos comandos do frontman, gritando sempre. Lisbon, clássica do ANGRA, teve uma recepção incrível do público, que cantou toda a música, Hugo Mariutti puxa um “hey” durante seu solo impecável, e para deixar o pessoal ainda mais animado, ele “oferece” sua guitarra para ser dedilhada. A cada intervalo Andre Matos agradecia aos gaúchos pela noite incrível, enfatizando que há público para o metal no Brasil, especialmente em Porto Alegre, ele também comenta o quanto é bom tocar para seus fãs em um local como o Teatro Ciee, pelo som perfeito.

Imagem

Imagem

Os próximos minutos são de Rodrigo Silveira, que faz um solo de bateria ensurdecedor que empolga ainda mais a gauchada. Voltando em fila, o trio frontal apresenta “On Your Own”. Para encerrar a primeira parte do show, “Livin for the Night” leva o teatro às alturas, Andre Matos deixa o microfone para seus fãs que cantam emocionados, ele faz questão de lembrar-se do show do VIPER, que aconteceu ano passado no mesmo local, e que esta é uma música que não pode ser retirada do set por ser uma das melhores do metal nacional. A apresentação da banda foi o “grand finale” da primeira parte do show, o talentoso vocalista volta e domina o palco com um agudo espetacular, e após 1h40m há um pequeno intervalo de 10 minutos.

Agora vem o que realmente interessa aos fãs fervorosos, o início da comemoração ao álbum “Angels Cry”, sendo assim, seguem à risca faixa por faixa, começando com a clássica “Unfinished Allegro” e “Carry On” abrem os trabalhos, mostrando que dali para frente não seria brincadeira. Em meio ao solo, Andre Matos aparece com uma pequena câmera para filmar o público ensandecido, imagens que estarão no próximo DVD da banda. O show segue sem intervalos e sem papo, emendando “Time”, “Angels Cry” faixa-título do álbum que contou com o coro de toda a plateia, “Stand Away” e “Never Understand”.

Imagem

Imagem

“Wuthering Heights” emociona os presentes, e em seguida “Streets of Tomorrow” muito aplaudida durante o solo de Andre Hernandes. O show vai encaminhando-se para ao fim com “Evil Warning”, onde Hugo Mariutti mostra toda sua habilidade solando com firmeza e muita categoria, ajoelhando-se frente aos fãs que recebem com coro em uníssono. Por fim “Lasting Child” fecha este clássico disco, marcante do metal nacional de todos os tempos. O quinteto posiciona-se na frente do palco e agradece por um longo tempo, o público sai satisfeito por presenciar uma das principais vozes do metal mundial, e um momento único de extrema competência mostrada por ANDRE MATOS 20 anos depois.

Set List KING OS BONES:
01. We are the Law
02. Fly Away
03. Find your Salvation
04. Heroes
05. Hells Pub
06. Broken Dreams
07. Rise and Fall
08. Perry Mason (Ozzy Osbourne)

Set List ANDRE MATOS:
1ª parte
01. Intro
02. Liberty
03. I Will Return
04. Course of Life
05. Rio
06. Fairy Tale
07. Stop!
08. Lisbon
09. On Your Own

2ª parte

10. Unfinished Allegro
11. Carry On
12. Time
13. Angels Cry
14. Stand Away
15. Never Understand
16. Wuthering Heighs
17. Streets of Tomorrow
18. Evil Warning
19. Lasting Child

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Fonte: Em 03/05/2013 | Resenha – Andre Matos (Teatro Ciee, Porto Alegre, 03/05/13) http://whiplash.net/materias/shows/179127-andrematos.html#ixzz2TZzMJJQJ

About Janus

Janus Aureus is my recently-inaugurated personal blog (written in portuguese, but with some texts in english as well). Fiore Rouge is my old (but still very active - in fact, more than Janus :P) blog (I started it back in 2005). Mentalize is a fan-made website (since 2005). if you wish to contact me for any reason, visit my blog and leave a comment OR see email above (top left) - no, my name's not Andre - actually, I'm not even a guy! LOL Long story... O Janus Aureus é meu blog pessoal - escrito em português - ainda sem muito conteúdo, pois foi começado no final de dezembro de 2011. Já o Mentalize foi aberto em 2005 e está escrito em várias línguas *rs* Privilegio o uso do inglês ali porque o pessoal estrangeiro não tem muitas informações sobre o AM. Quem quiser entrar em contato comigo por qualquer motivo, deixe um comentário nos meus blogs ou use o email que está aí em cima à esquerda (e não, eu não sou o Andre - aliás, sou mulher!).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s